quinta-feira, 13 de Novembro de 2008

A PREOCUPAÇÃO COM O MUNDO

Vamos olhar para a primeira carta de João, Cap. 2 e versículos 3 a 15




Antes, João escreve acerca da natureza humana , como ela é pecadora e necessita da graça de Deus operada através do perdão dos nossos pecados.



No seguimento deste raciocínio o Apóstolo nos introduz na necessidade incontornável de observarmos os mandamentos do Senhor e, no texto que considerarei, ele fala do perigo de amarmos as coisas do mundo em vez de amarmos as coisas do Senhor.


Estamos perante uma carta pastoral, logo dirigida a pessoas que professa a fé, mas que de alguma forma estão ainda envolvidas com as coisas deste mundo, no sentido de estarem a amar as coisas do mundo.


Lembremos que foi o Mestre que disse: "Não ameis o mundo, nem as coisas que nele há. O mundo passa mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre." (João 2:15)


Porém, creio que será proveitoso pensarmos no significado da palavra "mundo" neste contexto, pois que em outros contextos a Palavra diz que "Deus amou o mundo de tal maneira que..." (João 3:16)


No cap. 2:15 desta carta de João, "mundo" não tem a ver com o planeta, o cosmos. Foi o Senhor que criou todas as coisas. David diz no Salmo 19: "Os céus proclamam a glória do Senhor e o firmamnto anuncia as obras das suas mãos". "mundo" na carta de João tem a ver com tudo aquilo que é contrário ao Senhor. São aquelas coisas que, de forma muito subtil, tamam conta da vida do crente e tomam o lugar que pertence somente a Cristo. Paulo fala de Demas que amou o presente século. Dá a entender que ele ficou tão envolvido com as coisas do mundo que abandonou as coisas de Deus.
Para as coisas do mundo, as pessoas não reclamam, mesmo muitas vezes os próprios crentes. Mas, e que tal colocarmos algumas questões a nós próprios?
  • Como está a minha vida espiritual?
  • Quais são as minhas prioridades?
  • Onde está o meu coração?
  • Onde estão os meus interesses?

O tempo que por vezes as "coisas do mundo" requerem de nós, não reclamamos - há sempre a forma de dar um jeito.

Na nossa sociedade é bonito os pais colocarem os filhos em actividades extra-escolares. Vai daí a título de exemplo vem: a natação, o inglês, o karaté, o judo, a música, o ballet, o futebol, o atlectismo, etc. etc.

Mas... gastar tempo para além do estabelecido, na Igreja - para muitos já constitui um grande sacrifício. Envolver-se na Obra do Senhor de forma sacrificial, já é demais.

Ser de Cristo e conhecer a Cristo, é: guardarmos os Seus mandamentos. (v.3) Caso contrário, se alguém diz que conhece a Cristo e não guarda os Seus mandamentos é mentiroso e não tem a verdade. (v.4) O caso é mesmo sério. Ser de Cristo e conhecê-Lo, é seguir e conhecer Alguém que nos ama e deu a Sua vida por nós.

"Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele."

O amor pelo Pai é exclusivo!

Se alguém é absorvido pelos interesses do mundo que rejeita a Pessoa de Cristo, é por demais evidente que não tem o amor pelo Pai. Tiago diz que "A amizade do mundo é inimizade contra Deus." (Tiago 4:4) Jesus diz que: "Ninguém pode servir a dois senhores." (Mateus 6:24) Logo se não podemos servir a Deus e a Mamom, tão-pouco podemos amar a Deus e o mundo.

A exortação da Palavra do Senhor vem no sentido de termos vidas consagradas a Deus; vidas que amam verdadeiramente ao Senhor que deu a Sua vida por nós.

Mais algumas questões:

  • Estou verdadeiramente a amar a Deus acima de todas as coisas?
  • Estou a colocar as coisas do meu Senhor em primeiro lugar na minha vida?

Que nada nas nossas vidas ocupe o lugar que somente pertence ao Senhor.

"O mundo passa, mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre." (I João 2:17)




Sem comentários: